A transformação do processo seletivo de agência de publicidade

A transformação do processo seletivo de agência de publicidade

As agências de publicidade vêm se transformando na forma de escolher o perfil profissional mais estratégico para compor seus times. Mais do que nunca é necessário buscar profissionais com mentalidades diferentes, que pensem fora da caixa, visem resultados, sejam dinâmicos e inovadores.

Passou o tempo em que as prioridades para contratação eram a formação acadêmica, a instituição de ensino ou a experiência técnica. Vivemos dias em que as informações se transformam de uma hora para outra, então o que se aprendeu ontem já pode ter se tornado obsoleto, ou seja, formar-se em curso superior é apenas o primeiro de muitos passos.

Nessa era em que as informações são digitais e instantâneas, o mercado exige cada vez mais preparo dos profissionais. É nesse cenário que algumas competências comportamentais podem fazer toda a diferença para uma contratação. Inclusive, em alguns casos, se sobressaindo à técnica. Em entrevista para a revista Exame, a Diretora de RH do Google, Mônica Santos, salientou que ‘’enquanto para algumas empresas o conhecimento técnico tem uma importância gigantesca, para o Google é um pouco relativa’’. O que mais importa é o potencial do que o histórico do candidato. Além disso, a avaliação da compatibilidade de valores entre a agência e o candidato ganhou muito peso ao longo dos últimos anos.

Os empregadores tendem a valorizar a postura profissional, o comprometimento, a facilidade de aprendizado e a capacidade de se manter atualizado na profissão. Além disso, é muito importante a comunicação, a habilidade de transmitir uma mensagem, bem como competências de liderança e proatividade. E como não falar na capacidade de trabalhar em ambientes sob pressão? Essa habilidade é essencial nos dias de hoje, especialmente com o ritmo de trabalho e desafios encontrados em uma agência de publicidade.

A busca atual é por pessoas talentosas que queiram fazer a diferença dentro da empresa, e isso independe da sua experiência profissional, de quando, onde e em que você se formou. Na i-Cherry, eleita 5 vezes uma das melhores empresas para trabalhar no Paraná, Nadia Sousa, gerente de RH, destaca que “as agências se movimentam, se transformam o tempo todo e por isso a capacidade de se reinventar também é necessária. É preciso estar pronto para a mudança e conseguir enxergar oportunidades’’. Diante desse cenário, profissionais criativos com visão estratégica e raciocínio lógico apurado se destacam com facilidade, pois normalmente apresentam melhorias constantes para os negócios.

Outro fator interessante na evolução dos processos seletivos é o olhar mais amplo para as diferentes áreas de formação. Uma agência de publicidade não se faz apenas de publicitários ou jornalistas, mas também de administradores, economistas, engenheiros, desenvolvedores de tecnologia, estatísticos, e, por que não, farmacêuticos, físicos ou psicólogos? Sim, essas diferentes áreas criam um cenário de diversidade de conhecimentos que se transforma em belos resultados. Agências normalmente têm aquele conceito de serem diferentes, mais informais e dinâmicas, e isso é muito bem representado por essa mistura de profissionais. É sempre muito legal ‘’trocar figurinhas’’ com aquele colega de profissão, mas isso pode fazer com que as análises sejam limitadas, então por que não ‘’trocar de álbum’’ e criar inúmeras possibilidades?

Essas novas formas de olhar favorecem o crescimento da empresa e de todos que queiram participar desse processo de transformação já em evolução. O objetivo é criar um ambiente flexível, apto às novidades, que possa acelerar os resultados, modificar processos e, com isso, completar os times com profissionais que questionem e proponham soluções. Que isso seja contínuo nas agências, compreendendo que há muito mais na composição da história do candidato do que apenas na experiência ou diplomas apresentados nos currículos.